economiacapixaba

Archive for maio \29\UTC 2012|Monthly archive page

Notas sobre a Gestão de Riscos no Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes)

In Crédito, Desenvolvimento Capixaba on 29/05/2012 at 12:15

Por: Érika Leal, Felipe Zanellato Coelho, Lucas Marchesi Grobério, Bruno Gomes Correa e Flavio Augusto Buge Zucateli

A relevância do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes) na liderança da gestão dos incentivos financeiros e fiscais já foi discutida anteriormente pelos autores (AQUI).

Os incentivos fiscais foram criados no último quarto do século XX como parte da estratégia de desenvolvimento do Estado do Espírito Santo e sua importância já foi reconhecida em trabalhos de diversos pesquisadores capixabas, como Rocha e Morandi (1991), Macedo (2002) e mais recentemente em Paixão e Salles (2011).

O Bandes foi criado em 1967, inicialmente com o nome de Companhia de Desenvolvimento Econômico do Espírito Santo (Codes), com a missão de atuar como principal instrumento de revitalização da economia capixaba. Em junho de 1969, a Codes foi transformada em Bandes, passando a ter atribuições e responsabilidades delineadas pelo Banco Central do Brasil. Após 40 anos, o banco continua exercendo sua função de forma bastante vigorosa, tendo ampliado seu leque de atuação na década atual.

Continue lendo »

Anúncios

O processo sucessório em Vitória-ES: a história como tragédia e a sua repetição como farsa

In Política on 15/05/2012 at 21:39

Por: Ueber José de Oliveira

A partir de meados deste ano, como é de praxe, se acentuaram as movimentações em torno do processo eleitoral que ocorrerá no segundo semestre de 2012. E chama atenção as pressões por parte do atual Prefeito da Capital, João Coser (PT), e de seu grupo político para que a candidata do seu próprio partido, a ex-ministra Iriny Lopes, desista da disputa em prol da chamada geopolítica do ex-governador Paulo Hartung (PMDB), que resolveu lançar seu nome especialmente após pesquisas demonstrarem que, desde o término de seu mandato de governador, vem perdendo popularidade, o que foi associado ao fato de não ocupar nenhum cargo eletivo.

Pensando sobre o assunto, me veio imediatamente na memória um passado não muito distante, os idos de 1992. Neste ano, o então Prefeito de Vitória, Vitor Buaiz (PT), ao ser preterido da sua preferência de indicar o então Vice-Prefeito Rogério Medeiros (que foi derrotado nas prévias para João Coser), acabou apoiando, mesmo que timidamente, o então candidato tucano, Paulo Hartung, que também era aliado de Vitor na Prefeitura desde o pleito de 1988.

Continue lendo »

Economia capixaba e desafios do pós-Fundap: a problemática da logística

In Comércio Exterior, Desenvolvimento Capixaba on 08/05/2012 at 13:46

Por: Ednilson Silva Felipe

Os impactos do fim do Fundap sobre a economia capixaba devem se dar de várias maneiras e em muitas áreas: envolvem dinâmica econômica, finanças públicas, desafios de competitividade e, por outro lado, abre caminho para pensar em alternativas ao modelo de desenvolvimento instalado desde as décadas de 1960/70 no Espírito Santo e que foi pouco alterado até hoje.

A problemática do fim do Fundap já foi discutida nesse blog tanto por mim (AQUI) quanto pelo prof. Arlindo Villaschi (AQUI). Em ambos os textos, fica claro que alguns elementos importantes não tinham chegado a um debate que discutisse sistematicamente os impactos dessa alteração para a economia do Espírito Santo. Especificamente, neste texto, discutiremos a problemática do Fundap quanto à logística capixaba.

Continue lendo »

Relações entre Inovação e Desempenho Econômico

In Inovação on 01/05/2012 at 17:25

Por: Érika Leal e Bianca Rizzi*

 A teoria neoshumpeteriana atribui às inovações o papel central para a competitividade das empresas e afirma que: i) o mercado seleciona as empresas mais inovadoras; ii) empresas mais inovadoras geralmente possuem desempenho econômico superior às empresas não inovadoras.

Assim, diversos estudos tanto no âmbito acadêmico quanto governamental são desenvolvidos com o intuito de verificar a validade de tais hipóteses; de mensurar o grau de inovação de regiões, setores e grupos de empresas; de verificar quão relevantes são determinados investimentos aplicados em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) pelas empresas para ampliar seu faturamento, ampliar o valor de mercado das mesmas e consequentemente torná-las mais competitivas.

Em 2008, a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (SECT) investiu mais de R$ 2 milhões (a título não-reembolsável) para o desenvolvimento de inovações em um grupo de 10 empresas no Espírito Santo (Programa PAPPE SUBVENÇÃO).  Assim, em meados do ano passado, surgiu o interesse em analisar os impactos dos investimentos em P&D oriundos do PAPPE para a competitividade das empresas beneficiárias, tendo o referencial teórico neoshumpeteriano como base.

Continue lendo »